Home / Prive Contos Eróticos / Prive Contos Eróticos – O Cigano (Final)

Prive Contos Eróticos – O Cigano (Final)



 Enquanto
eu e o meu amor estávamos feliz naquele paraíso, a caça a nós dois
estava a todo o vapor.
Meu pai não desistiu de nós encontrar vivos ou
mortos. E nós encontrou. Nesse dia eu acordei bem cedo. Deixei meu Dê
ainda dormindo e preparei para nós um pique nique, com todo o carinho.
Entrei dentro da barraca e despertei meu amor com um delicioso beijo.


Ele acordou e me retribuiu com outro. E naquele pique nique erámos só
sorrisos. Aproveitei a surpresa que fiz para ele e intimei ele a
fazermos um pacto de sangue. Intimação aceita, então fizemos o nosso
pacto de sangue. Expliquei para ele que para mim que nasci um cigano,
esse pacto era como se tivéssemos casando.

Mas
algumas horas depois desse pacto, invadiram o nosso paraíso,
infelizmente ele nós acharam, queimaram a nossa barraca com tudo o que
havia lá dentro dela. Então fomos levados de volta calados e abafados.
Eu e o Dê não fizemos nada a não ser chorar, chorar e chorar muito.
Com
o regresso a minha morada, ao invés de apoio eu recebi ali foi,
palavras e atitudes colocadas em minha face para me trazer a humilhação.
Me sentia um nada com isso tudo.
Mas
um dia antes de nós matar, estava eu no meu quarto, como sempre, de
repente ouço um grito vindo do quarto dos meus pais. Assustado fui
correndo lá para ver o que tinha acontecido. Chegando lá, encontrei o
meu pai já sem vida, caído ao chão e a minha mãe abraçada ao corpo dele
chorando copiosamente. Ela ao me ver adentrando o quarto, soltou ele e
me abraçou forte e chorando, já tinha até me esquecido com que era
ser abraçado por ela desde que me trouxeram para morrer.
Então
meu pai foi velado e enterrado com toda a sua tradição e homofobia, e
mais uma vez os ventos conspiraram em favor do nosso amor, grande amor.
Passando alguns dias, minha mãe, nós chamou para uma conversa, e que conversa edificante tivemos:
—Bom
eu chamei os dois aqui, para dar para os dois uma carta branca. Vão ser
feliz! David o seu pai que era uma pedra no seus sapatos já não está
mais entre nós, a  velha tradição continuara com ou sem você , e não
mudara nunca. Eis a oportunidade que a vida está dando aos dois, vai
deixar ela passar? Vão perder essa chance?
Então com a sua benção, voltamos para onde nunca deveríamos ter saído, para o nosso paraíso.
—Nossa amor, nem acredito que estamos juntos novamente. Disse Dê.
E eu respondi dando um beijo bem caloroso naquela boca carnuda gostosa:
—Pois pode acreditar, minha razão de viver e agora e para sempre ou até que a morte nós separe.
E
depois de montarmos a nossa barraca, ficamos apreciando as paisagens,
as montanhas com suas cores preenchendo o horizonte. Fomos acolhido pela
mãe natureza. depois fomos brincar um pouco, ele me comeu ali mesmo que
delicia ter o rabo todo esfolado em uma paisagem totalmente natural.
Fechei os meus olhos e curti aquele momento ao máximo.


FINAL FELIZ.

”Seja
você, de a você a oportunidade de ser você. E lembre-se que você não
deve nada a sociedade, ela e que te deve e muito, Respeito.”

Isaias Venâncio.

Mundo Mais 

 


About Menino do Rio

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

x

Check Also

Prive Contos Eróticos – Eu, minha namorada e seu Primo Gay

Sou Thiago, tenho meus 18 anos e curto uma foda nervosa, namoro Rebeca há um ...