(Zoofilia) Prive Contos Eróticos – Eu, o Peão & o Cavalo


Olá! Antes de começar a contar minha história deixe-me apresentar: sou moreno claro, tenho olhos castanhos, cabelos castanhos curtos, 1.68m., 65kg., poucos pêlos, casado. Certa vez fui ao sítio de um primo meu aqui na região de São
José do Rio Preto onde moro, ia passar uns dias lá por ocasião das festas de fim de ano. Chegando lá, fui muito bem recebido por todos: meu primo, sua esposa e minha tia que estava hospedada lá também. Logo me levaram ao quarto onde eu iria ficar pra
que pudesse me instalar e tomar um bom banho pra refrescar. Disseram que iriam até uma cidade vizinha providenciar as compras para as festas e que eu ficasse a vontade, puxa isso soou como um convite pra mim…rsrsrs. Fui ao meu banho e quando. saí vestindo
apenas uma bermuda – fazia muito calor na ocasião – resolvi dar uma volta e conhecer mais a propriedade que, apesar de não ser muito grande, é bem aconchegante e bonita. Fui andando e quando dei por mim estava perto do curral, me detive lá um tempo admirando
as vacas, os bezerros e tal, sempre gostei de animais. De repente levo um susto, estava distraído e não percebi a aproximação de um rapaz, mas passado o susto começamos a conversar e ele se apresentou como sendo o responsável por cuidar dos animais daquele
sítio e de alguns outros da redondeza. O rapaz não era muito bonito não, pelo contrário, um tipo meio rústico, moreno queimado pelo sol, devia ter uns 30 anos, tinha um corpo esbelto, nem fortão nem magrelo, talvez devido ao trabalho que desempenhava,
estava bastante suado pela lida do dia, isso já era umas 15hs, mas tinha algo nele que me atraía. 
A conversa fluía naturalmente enquanto ele apartava os bezerros e eu sempre me flagrava admirando aquele corpo de macho, o problema é que não só eu me flagrava,
mas ele também começou a perceber meu interesse e de repente começou a alisar o pau por cima da calça, coisa natural pra um homem desses, mas fazia isso instintivamente e olhava pra mim; resolvi entrar no seu jogo pra ver onde ia dar e comecei a encarar
fixamente seu pau quando ele fazia isso. Então ele acabou o que estava fazendo, se aproximou de mim e perguntou se eu gostava daquilo, no que respondi prontamente que sim já levando a mão para acariciar seu pau. Disse a ele que estávamos sozinhos no momento
e ele de imediato me respondeu que sabia, pois tinha visto meus parentes saindo e ato contínuo me puxou pra dentro do curral, em um cantinho mais escondido, nisso já foi me forçando a abaixar em sua frente e colocou seu pau pra fora, NOSSA!, fiquei sem
ação, era um pinto lindo, não muito grande, devia ter uns 18/19cm no máximo, do jeito que eu gosto, com uma glande bem vermelhona, tipo cogumelo, e um sacão grande e penduradão, confesso que amei aquilo. Fui logo metendo a boca nele e chupando como louco,
nisso ele segura minha cabeça e começa a foder minha boca como se fosse uma boceta, ou um cu, sei lá, só sei que estava sendo dominado e estava adorando aquilo. Ele fodendo minha boca, me sufocando, eu perdia o ar, dava ânsia, babava todo seu pau e deixava
escorrer pelo meu queixo e pelo meu corpo toda a baba. Em seguida ele me fez levantar, virar de costas pra ele e me apoiar na cerca de madeira, deu uma cuspida no meu cu, lambuzou o pau também. e de uma só vez socou seu pauzão no meu cuzinho, senti uma
ardência danada, mas depois que acostumei foi só prazer. Ele me puxava pelo cabelo, batia na minha bunda e socava cada vez mais forte, aquilo estava realmente uma delícia, sem contar que de vez em quando ele me forçava a olhar pra ele e cuspia na minha
cara, era realmente um safado dominador. Depois me fez ficar de quatro naquele chão sujo, cheio de bosta de vaca e começou a me comer, isso sem parar de me xingar, bater e cuspir em mim. Quando resolveu que ia gozar me fez ficar de joelhos em sua frente
e me mandou abrir a boca pois iria me lambuzar com todo seu leite. Não me fiz de rogado e imediatamente me ajoelhei e abri a boca à espera de sua porra, e que porra, veio em grande quantidade. daquelas bem grossas, me lambuzou todo o rosto e encheu minha
boca, que delícia, estava realizado, mas ainda não tinha acabado pra ele. Pegou-me pelo braço, de forma até meio rude, como não poderia deixar de ser e me levou ao estábulo que ficava próximo dali. Chegando lá ele entrou em uma divisória onde havia um
cavalo bem grande e bonito, me fez entrar junto com ele e me disse: eis aqui o seu presentinho, sei que vc gosta e agora pode se deliciar. Dito isso, e como o cavalo estava já preso, me fez ajoelhar em baixo dele e me mandou alisar seu pauzão. Nem precisou
dizer duas vezes, comecei a punhetá-lo e logo aquilo ficou enorme nas minhas mãos, aproveitei a oportunidade e resolvi me dedicar e realizar minha fantasia, caí de boca no que eu podia daquela jeba imensa. Lambia, cheirava, esfregava pelo meu rosto e
por todo meu corpo. De vez em quando o animal soltava uma porção considerável de líquido que eu aproveitava pra espalhar por todo meu corpo, enquanto isso o peão só se punhetando e me dando ordens sobre o que e como devia fazer. Não demorou muito e o
animal fez um barulho e começou a soltar muito leite sobre mim, era uma quantidade enorme, bem mais grossa que a que vinha soltando antes, um cheiro forte, mas estava delicioso ser banhado por aquele leite quente de animal. Nisso o peão mandou eu enfiar
na boca e deixar ele se acabar dentro dela; fiz isso, mas era muita porra e comecei a babar tudo, fiquei literalmente lavado de porra animal, mas estava muito excitado e achando tudo isso maravilhoso. Ainda não tinha gozado e então o peão veio perto de
mim, se abaixou e, para minha surpresa, começou a me chupar. Com uma das mãos espalhava a porra de cavalo pelo meu peito e com a outra ficou se masturbando. Ele logo estava prestes a gozar. Veio até perto de meu rosto, me mandou abrir a boca e gozou tudo
dentro, dizendo que era pra engolir tudo que depois ele faria o mesmo comigo. Foi o que fiz. Ele então continuou me chupando até que comecei a gozar e ele engoliu toda minha porra sem desperdiçar nada. Depois disso tudo que fui me tocar que já tinha se
passado mais de uma hora e que meu primo estava pra chegar, então corri pra dentro de casa tomar um outro banho e me pôr em ordem pra que nada fosse percebido.


Fonte:contosonline

 

Mundo Mais

 

Post Author: Menino do Rio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.